fbpx

Perspectivas da colheita de grãos na safra 2020

A nova década começa a promessa de um ótimo desempenho na agricultura, com a projeção de uma safra recorde de grãos em 2020 feita pelo IBGE.

O aumento na produção foi beneficiado pelo bom desempenho dos financiamentos para o setor e pela previsão de melhoria das condições climáticas, segundo estimativas da Conab.

Mas você já conhece as previsões para a próxima colheita de grãos? Sabe quais culturas devem aumentar ou diminuir a sua produção? Neste artigo, mostraremos as projeções para a colheita de grãos na safra 2020 e analisaremos essas estimativas.

Veja quais são as projeções para a colheita de grãos

A previsão do IBGE é de que a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas alcançará 243,2 milhões de toneladas. Esse volume é 0,7% acima da safra anterior, com um acréscimo de 1,7 milhão de toneladas. As informações são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA).

A safra de soja deverá crescer 7,8%, o algodão herbáceo 2,7%, o feijão 1ª safra 3,3%, o arroz 0,9%, o milho 1ª safra 1,8%. Dessa maneira, essas estimativas das produções de soja e algodão são recordes da série histórica do IBGE.

Dos cinco produtos de maior importância para a próxima safra, apenas o milho 2ª safra apresentou estimativa de produção menor que em 2019, de 10,4%. Em função disso, a produção anual de milho deverá sofrer redução de 7,2%.

Os registros de acompanhamento da safra apontam crescimento tanto na produção, quanto na área plantada e na produtividade. Os níveis de produtividade apresentados compensam as instabilidades da safra no plantio de verão passado, causados por instabilidades climáticas. Para a Conab, a perspectiva é que a produtividade continue com bom desempenho.

colheita de grãos

Veja as projeções para cada cultura

Algodão herbáceo (em caroço):

O terceiro prognóstico da safra para 2020 estima uma produção de 7,1 milhões de toneladas, 2,7% a mais que na safra de 2019. A área plantada, de 1,7 milhão de hectares, deve crescer 7,1%. Estima-se ainda um rendimento médio de 4 058 kg/ha, com declínio de 4,1% em relação à safra do ano anterior.

Arroz (em casca):

A terceira estimativa para a safra 2020 é de uma produção de 10,4 milhões de toneladas, comm crescimento de 0,9% em relação a 2019. O rendimento médio deve crescer 3,6%, para 6 266 kg/ha, enquanto a área plantada deve apresentar declínio de 3,4%.

Feijão (em grão):

A estimativa da produção de feijão para a safra 2020 é de 3,0 milhões de toneladas, 2,8% menor que em 2019. A 1ª safra deve produzir 1,3 milhão de toneladas; a 2ª safra, 1,2 milhão de toneladas; e a 3ª safra, 468,0 mil toneladas. A área a ser colhida na safra de verão (1ª safra) deve alcançar 1,6 milhão de hectares, com crescimento de 2,1%. Além disso, o rendimento médio, de 852 kg/ha, deve apresentar um aumento de 1,2%.

Soja (em grão):

A terceira estimativa de produção para 2020 é de 122,4 milhões de toneladas. Isso representa um crescimento de 7,8% em relação a 2019, um novo recorde da série histórica do IBGE. A área a ser plantada é de 36,6 milhões de hectares, com aumento de 2,2%.

Desse modo, o Brasil pode se tornar o maior produtor global da commodity em 2019/2020, passando os Estados Unidos. O rendimento médio nacional estimado é de 3 340 kg/ha, com aumento de 5,4%. Isso porque em 2019 houve excesso de calor e restrições de chuvas no Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

colheita de grãos

Café (em grão):

A estimativa para o café foi de 3,4 milhões de toneladas, ou 56,4 milhões de sacas de 60 kg, 12,9% a mais que em 2019. A estimativa para o café arábica é de 2,5 milhões de toneladas, ou 42,2 milhões de sacas de 60 kg (22,1% a mais). O rendimento médio apresenta um crescimento de 16,2%, bem como a área plantada e a área a ser colhida aumentam em 4,2% e 5,0%, respectivamente.

A safra 2020 do café arábica é de bienalidade positiva, ou seja, ano em que as plantas estão recuperadas fisiologicamente, uma vez que a produção do ano anterior foi menor. Verifica-se que os preços do produto se recuperaram a partir do final de 2019. Além disso, as boas condições climáticas também devem repercutir positivamente na safra 2020.

Milho (em grão):

O terceiro prognóstico para a safra de milho 2020 estima uma produção de 93,3 milhões de toneladas, 7,2% menor que a safra anterior. Porém, mantém-se a tendência de um maior volume de produção do milho na 2ª safra. Ela deve participar com 71,7% da produção nacional para 2020, contra 28,3% de participação da 1ª safra de milho.

Para a 1ª safra de milho, a previsão é de 26,5 milhões de toneladas, 1,8% maior em relação ao mesmo período de 2019. O crescimento na área plantada será de 0,5%, e na área a ser colhida, de 1,9%, com retração de 0,1% no rendimento médio. Para o milho 2ª safra, a estimativa da produção é de 66,8 milhões de toneladas, com declínio de 10,4% em relação a 2019.

Veja como a tecnologia contribui para o aumento de produtividade

Os produtores rurais estão sempre em busca de novas soluções para aumentar a eficiência da produção, ter mais qualidade e rapidez nos processos e reduzir custos. As novas tecnologias empregadas na colheita e transporte dos grãos contribuem para o aumento da produtividade.

colheita de grãos

De acordo com a Conab, a safra 2020 deve registrar a segunda maior produtividade média da série histórica. Esse aumento se deve principalmente ao aumento do pacote tecnológico utilizado pela agricultura brasileira.

Fatores como a variedade climática, a extensão de terras no país, o auxílio das novas técnicas de cultivo e manejo do solo e o emprego de novas tecnologias permitem que o país possa produzir até três safras de grãos por ano, alcançando níveis elevados de produtividade.

Entenda como as empilhadeiras ajudam na colheita de grãos

O uso de empilhadeiras na colheita elimina a necessidade de uso da força humana e torna as operações mais eficazes, reduzindo os danos nos produtos.

Essas máquinas permitem o empilhamento das cargas, possibilitando alcançar grandes alturas com facilidade. Além disso, elas tornam o acesso aos estoques mais fácil e rápido, favorecendo uma melhor utilização dos espaços verticais e uma maior economia de espaço.

Compactas, robustas e duráveis, as empilhadeiras da Série MX encaram todo tipo de terreno com agilidade e eficiência. O equipamento apresenta ótimo desempenho em aplicações como pomares de maçã e outros tipos de frutas. De fácil operação e mecânica simplificada, elas são capazes de suportar cargas de até 3.500kg e de superar as condições mais severas.

colheita de grãos

Como vimos anteriormente, temos uma previsão de uma safra recorde de grãos em 2020, com aumento de produção em quase todas as culturas, com exceção do milho.

Você gostou desse artigo sobre colheita de grãos? Quer saber mais sobre as máquinas e equipamentos utilizados na agricultura? Então acesse o nosso blog!

Perda de grãos na colheita: como evitar?

Para ter bom desempenho na colheita, com baixo percentual de perda de grãos, é necessária a adoção de diversos cuidados e procedimentos.

As perdas na agricultura trazem prejuízos significativos. Anualmente, cerca de 10% da safra brasileira de grãos são perdidos entre o plantio e a colheita, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Por isso, criamos este artigo para dar algumas dicas de como você pode evitar a perda de grãos na colheita. Vem com a gente!

Saiba como fazer um plantio adequado

Em primeiro lugar, o terreno para a instalação da lavoura deve estar preparado corretamente para receber as sementes e os adubos. Após o preparo, o solo deve ficar sem valetas, buracos, raízes e plantas daninhas. A semeadura deve ser feita com uma boa uniformidade no espaçamento das plantas dentro da linha de plantio.

As sementes utilizadas devem ter um percentual de germinação elevado. Elas devem ser semeadas mecanicamente na profundidade de 3 a 5 cm. No entanto, as semeadoras adubadoras devem estar bem reguladas, de modo a causar baixo percentual de danos às sementes.

As plantas daninhas, doenças ou pragas devem ter um controle adequado. Lavouras mal conduzidas afetam o desenvolvimento da cultura, produzindo plantas atípicas e inapropriadas para as operações mecânicas de colheita. A ocorrência de mistura de variedades na lavoura, proveniente de cultivos remanescentes, também prejudica a qualidade dos grãos.

Além disso, fatores relacionados ao solo, à topografia do terreno, ao ambiente, às práticas culturais, às doenças, à disponibilidade de água para as plantas causam desuniformidade na maturação das plantas.

perda de grãos - movix

Faça a colheita no momento certo

A colheita feita fora de época aumenta a percentagem de perda de grãos e afeta a produtividade da lavoura. O atraso na colheita também deprecia as sementes, pois elas ficam expostas por mais tempo ao ataque de pragas.

Além disso, a permanência prolongada da lavoura no campo causa reduções na germinação e no vigor das sementes e elevação no percentual de sementes infectadas por patógenos e insetos.

Otimize o uso da colheitadeira

O operador deve conhecer bem o funcionamento de cada um dos sistemas componentes da colheitadeira: corte, alimentação, trilha, limpeza, ventilação, transporte interno, armazenamento e descarga. Desse modo, ele será capaz de tirar o máximo de proveito de cada um desses sistemas.

Mas mantenha a atenção também para a velocidade de deslocamento da colheitadeira, que está ligada diretamente com as perdas de grãos. As velocidades entre 4,5 e 6,5 Km/h permitem uma colheita com maior eficiência e menor perda de grãos e evitam sobrecarregar os trilhos do sistema de captação de grãos da colheitadeira.

Certifique-se de que você dispõe do número de colheitadeiras adequado para fazer a colheita no prazo certo. Sem dúvida, tentar aumentar a velocidade das máquinas para ganhar tempo pode danificar os grãos e causar perdas.

perda de grãos - movix

Veja como armazenar os grãos corretamente

O armazenamento deve ser realizado observando-se as práticas corretas de colheita, limpeza, secagem, combate a insetos e prevenção de fungos.

O silo é o método mais seguro de armazenamento, pois permite maior controle da qualidade, devido à facilidade de associação com sistemas de secagem com ar forçado.

Para que não ocorram perdas no armazenamento, devem ser observadas algumas boas práticas:

  • Limpar e secar o maquinário de colheita;
  • Monitorar a umidade dos grãos, visto que o ideal é 13%;
  • Ter cuidados com a higienização do armazém, assim como o controle de pragas;
  • Nunca armazenar dois tipos de grãos diferentes juntos;
  • Separar e eliminar os grãos contaminados;
  • Quando se adota a secagem em lotes, a secagem é lenta e a umidade do grão deve ser de no máximo 20%

perda de grãos - movix

Faça um levantamento da perda de grãos

Após a colheita, é importante sempre fazer um levantamento das perdas, a fim de ajustá-las ao nível de tolerância de 60 kg por hectare recomendado. A perda deve ser determinada com o objetivo principal de se tomarem providências para reduzi-la. Avalia-se a perda visualmente, contando, pesando ou medindo o volume dos grãos perdidos. O uso de um copo medidor possibilita um monitoramento mais rápido e eficiente do processo de colheita.

Como vimos, a adoção de cuidados e procedimentos adequados pode contribuir para evitar perda de grãos significativas.

Você gostou desse artigo? Quer saber mais sobre como evitar prejuízos e aumentar a produtividade? Então acesse o e-book Desafios da Gestão de custos e produtividade na agricultura e fique também de olho em nosso blog para mais matérias como esta!