fbpx

BLOGMOVIX

As últimas notícias para você

mercado da madeira 2022

Projeções para o Mercado da Madeira 2022

As projeções para o mercado da madeira 2022, assim como para outros segmentos da indústria se baseiam no pós-pandemia, em seu impacto na economia e nas tendências de comportamento dos consumidores.

A extração da madeira no Brasil se dá, especialmente, pelas indústrias de papel e pela construção civil. Nesse sentido, a demanda está diretamente conectada com estes setores. 

A construção civil é uma das áreas da economia que esteve em plena expansão desde 2020 e superou todas as previsões de crescimento, o que causou até mesmo um receio de escassez de matérias-primas como a madeira para suprir as demandas, por exemplo.

Neste artigo, você vai conferir algumas projeções para o mercado da madeira em 2022 e, assim, poder preparar sua empresa para as futuras mudanças econômicas. 

4 Projeções para o Mercado da Madeira 2022

Empresas com responsabilidade ambiental

Ações como a reutilização de materiais, design sustentável, florestas plantadas e descarte regular de materiais compõem algumas tendências de sustentabilidade para o mercado de madeira de 2022.

Aliás, sustentabilidade é uma palavra que continuará muito presente no vocabulário de boa parte das pessoas e empresas em 2022. No entanto, como adotar medidas favoráveis ao meio ambiente, em um setor cuja principal atividade envolve a degradação de áreas e derrubada de árvores?

Aliás, não é de hoje que as indústrias madeireiras adotam diversas medidas – ambientais e sociais – com a intenção de reduzir os impactos causados por sua prática. 

Assim, são nomes de empresas com propostas sustentáveis que prometem se consolidar no próximo ano. Não apenas porque incentivam o desenvolvimento da indústria 4.0, mas também porque adotam posturas inovadoras e conscientes. Estes, por sua vez, são atributos indispensáveis para fazer sucesso entre as futuras gerações de consumidores.

Regulação da demanda

Housing

O isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus modificou as relações de trabalho, fazendo com que pessoas do mundo inteiro precisassem migrar dos escritórios para casa. 

Assim, a necessidade de adequação do espaço doméstico implicou em uma alta demanda por reformas, obras e móveis planejados em 2020 e 2021. Essa prática, conhecida como housing, foi uma das grandes responsáveis pelo aumento da demanda de madeira. 

Sob essa perspectiva, a construção civil foi um dos segmentos considerados essenciais durante a pandemia, ou seja, não teve suas atividades interrompidas. Esse fator gerou uma saturação na demanda por matéria-prima, em contraposição com a dificuldade na oferta.

A tendência é que essa explosão da demanda se regularize nos próximos meses, conforme a adaptação da realidade pós-pandemia e o retorno ao trabalho presencial.

Um estudo apresentado por Jefferson Bueno Mendes, da BM2C Consultoria, no 8º Workshop Embrapa Florestas/Apre, afirmou que o quadro favorável dos últimos dois anos apresenta mudanças em vista. Segundo ele, “em 2022 nós teríamos um quadro um pouquinho mais apertado, se mantidas as condições atuais de demanda que acreditamos que não vão ficar assim. O déficit atual de 2021 aumentaria para 5,5 milhões, mais ou menos equivalente a 10,5% da oferta sustentável. O que não é sustentável, logicamente, no médio prazo.

Celulose

celulose mercado da madeira 2022

Sob outra perspectiva, há a demanda de extração de madeira para fabricação de papel, que também foi comprometida pela pandemia.

Segundo Renata Mercante, em um estudo publicado na Fastmarkets RISI, “no início da pandemia, compras geradas por pânico, acumulação preventiva e o aumento do e-comércio catapultaram a demanda por tissue e embalagens, enquanto o fechamento forçado de escritórios e escolas levou a demanda por papel gráfico a uma espiral decrescente.

As previsões futuras do mesmo estudo afirmam que “o consumo expandirá em média cerca de 2% ao ano em 2021 a 2024. Isso elevará o consumo total de celulose de 177 milhões de toneladas em 2018 para 181 milhões de toneladas em 2024.

Aumento nos custos de exportação

A demanda do setor madeireiro também pode se equilibrar em função do aumento nos custos de exportação. Segundo Mendes, da BM2C, os preços elevados se devem ao: 

  • Custo de frete 
  • Desorganização da cadeia produtiva
  • Falta de containers
  • Capacidade dos porto

Nesse sentido, a tendência é uma busca mais elevada por fornecedores próximos, que auxiliem as empresas a economizarem com transporte.

Aumento das áreas de florestas plantadas

As florestas plantadas são voltadas exclusivamente para a demanda de indústrias madeireiras. Elas servem para reduzir a pressão sobre florestas naturais, contribuindo como fator de sustentabilidade e equilíbrio ambiental. 

A tendência é que o cultivo dessas florestas para extração de madeira componha as ações de sustentabilidade previstas para 2022, especialmente com as espécies eucaliptos e pínus. 

E então, qual a sua visão para o mercado da madeira 2022? Escreva aqui nos comentários o que achou das projeções e conte com a Movix para auxiliar a sua empresa.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp