fbpx

BLOGMOVIX

As últimas notícias para você

tratamento em autoclave empilhadeira movix

Gestão de custos e produtividade em madeireiras

Uma boa gestão de custos permite que as empresas madeireiras tenham uma percepção mais clara sobre as despesas envolvidas no processo produtivo e aumentem a produtividade. 

Devido à grande competitividade no mercado, as empresas têm a necessidade de obter um maior controle nos processos de fabricação, bem como dos custos de produção decorrentes dessas operações. Nesse sentido, a contabilidade de custos pode proporcionar ferramentas de caráter gerencial, que auxiliam no controle do uso de recursos e na tomada de decisão.

Neste artigo, vamos explicar como é feita a gestão de custos e dar dicas para aumentar a produtividade em madeireiras.  

O segmento madeireiro reúne várias atividades que envolvem a produção, a colheita e a transformação da matéria-prima madeira. Para atuar nesse mercado, as empresas precisam lidar com informações de custos que permitam formar adequadamente os preços de seus produtos e controlar os custos de produção.

A gestão de custos implica em acumular os custos próprios de cada objeto, organizá-los e analisá-los, com a finalidade de compor informações diferentes para atender às finalidades gerenciais.

Os sistemas de custeio têm por objetivo identificar os custos inseparáveis ao processo produtivo, acumulando-os de forma organizada aos produtos. Desse modo, é possível quantificar os estoques, fazer o planejamento e controle das operações e tomar decisões mais acertadas.

Os custos são determinados por diversos fatores que se inter-relacionam de formas complexas, como o preço da matéria-prima e da mão de obra dos empregados. Compreender o comportamento dos custos significa compreender a complexa interação do conjunto de direcionadores de custos em determinada situação.

As decisões de quais custos farão parte do custo dos produtos levam à escolha pelo custeio por absorção ou custeio variável. 

O custeio por absorção difere do custeio variável pela classificação dos custos fixos como custos inventariáveis ou custos do período. A classificação dos custos fabris e não fabris é utilizada para apurar o custo dos produtos de acordo com os objetos de custeio. Os custos fabris são utilizados no custeio dos produtos em estoques, e os custos não fabris são acrescentados aos custos fabris na apuração do custo dos produtos vendidos.

Por sua vez, o custeio por absorção é caracterizado por incorporar todos os custos de produção ao custo dos produtos em estoque. Esse sistema possibilita que esses custos sejam confrontados com as receitas que os originaram no momento da venda.

Além disso, o gestor deverá escolher o seu sistema de acumulação de custos, orientando-se pelo sistema produtivo da empresa. Existem três sistemas básicos de produção: 

  • Sistema de produção por encomenda:

    Aplicado à empresa cujo sistema produtivo é descontínuo, produzindo bens e serviços não padronizados e, geralmente, sob encomenda específica dos seus clientes. Ele é usado nas empresas com produção sob encomenda, cujas unidades individuais, partidas ou lotes de produtos recebem diferentes graus de atenção ou técnicas, consumindo assim diferentes quantidades de recursos. A identificação dos custos de cada pedido é feita por meio de um instrumento de controle, como uma folha de custo de ordem de produção. Nesse caso, os custos são acumulados em uma ordem e divididos por quantidades menores de produtos, característicos de uma única ordem de produção. O objetivo é obter assim uma apuração mais criteriosa dos custos desses produtos, com ênfase no controle dos custos por departamentos.

  • Sistema de produção contínua:

    Utilizado em empresas com produção contínua de produtos padronizados, com unidades iguais. Esses produtos passam por uma série de processos ou operações, e consomem de forma similar os recursos necessários para a produção. A característica principal desse sistema é o acúmulo dos custos para cada de linha de produtos, que são então divididos pelas quantidades produzidas durante o período dado para apurar custos unitários médios. Nesse caso, o custo médio apurado pode ser menos criterioso, pois o denominador utilizado, ou seja, a quantidade de produtos fabricados, é muito maior. 

  • Sistema de produção híbrida:

    Aplicado em empresas cujo sistema de produção funciona em parte por encomenda e em parte por produção contínua.

Os objetivos de ambos os métodos são basicamente os mesmos, consistindo num processo de apropriação de materiais diretos, mão de obra direta e custos indiretos de fabricação aos produtos. 

Definido o método, abre-se uma Ordem de Produção (OP) para alocar todos os custos da referida encomenda até o término da produção. Os custos devem ser acumulados numa conta específica para cada ordem e encomenda.

Saiba como são classificados os custos de produção

Os custos de produção podem ser classificados como custo direto, indireto, fixo, variável e semivariável.

  • Custo direto:  Todo custo  que pode ser identificado diretamente ao  produto sem qualquer meio parâmetro de alocação. O custo só é direto quando não é necessário empregar nenhum recurso ou parâmetro para identificar a qual objeto de custeio ele pertence. Por exemplo, a matéria-prima e a mão de obra direta.
  • Custos indiretos:  são aqueles  que  necessitam  de  algum  parâmetro  para  alocação  aos produtos.  Por exemplo, taxas de rateio ou critérios de alocação, sem especificação a produtos finais, com tratamento de caráter genérico. Uma característica do custo  indireto  é a necessidade  de parâmetro para ser identificado ao produto ou objeto de custeio. Esses parâmetros são as taxas de rateio ou critérios de alocação. Outra característica é o seu caráter genérico e não específico a produtos finais. Eles incluem os custos com mão de obra e outras despesas de manufatura, como a como a depreciação  do  edifício  e  das  máquinas  e equipamentos de fábrica, suprimentos, aquecimento, iluminação, energia, manutenção,   seguro e impostos.
  • Custos fixos: São aqueles que se mantêm constantes no período, sem alteração de seu valor devido à volume de produção, de vendas ou outros fatores.
  • Custos variáveis: Ao contrário  dos  custos  fixos,  os  custos  variáveis já se alteram devido a algum fator, como volume de vendas, volume de produção, entre outros.
  • Custos semivariáveis: Possuem  uma  parte  fixa  e  outra  variável. 

Como aumentar a produtividade em madeireiras

A gestão deve evitar gargalos que possam atrasar a distribuição, reduzir a produtividade e atrasar as entregas. Para isso, é importante contar com máquinas adequadas e fazer a manutenção preventiva.

O uso de empilhadeiras torna o fluxo das madeiras muito mais ágil, eficiente e prático. Essas máquinas permitem descarregar muitos cargas ao mesmo tempo, de modo a evitar retrabalhos, movimentações desnecessárias ou desperdícios no transporte

Para garantir bons resultados, esse processo não se limita à movimentação das madeiras no pátio, mas deve abranger ainda o monitoramento, proteção, armazenamento e distribuição de cada item.

Um bom planejamento de toda a rotina de trabalho, com a descrição de cada etapa nos registros, aumenta a segurança e evita gargalos e prejuízos nas operações. Desse modo, é possível aumentar a produtividade e reduzir grande parte dos custos da madeireira.

O gestor deve elaborar um plano de movimentação detalhado, capaz de guiar toda a equipe em prol de um movimento contínuo de correções e melhorias. Esse tipo de cuidado garante a adoção de rotinas de inspeção e manutenção capazes de prevenir e solucionar problemas.

Veja os benefícios da empilhadeira off-road para as madeireiras

O uso de empilhadeiras todo terreno madeireiro tem crescido muito no setor, devido principalmente à sua robustez e capacidade de operar ao ar livre e em terrenos irregulares. Para enfrentar essas condições adversas, a estrutura física dessas máquinas é mais forte e resistente que daquelas utilizadas em centros logísticos fechados. Além disso, a distância do chassi até o chão é adequada para vencer os obstáculos em qualquer tipo de terreno. 

Esses equipamentos são perfeitos para empilhar cargas, mas também servem para fazer a distribuição e o transporte de materiais para estoques e locais de utilização. Desse modo, eles evitam que ocorram desperdícios, acidentes e danos comuns no transporte manual. Com essas máquinas, materiais pesados, madeiras, máquinas e suprimentos podem ser transportados muito mais facilmente. 

Além disso, essas empilhadeiras também podem ser utilizadas com equipamentos porta-garfos, que ampliam as suas aplicações. Por isso, elas podem transportar cargas disformes, como feixes de madeira, tubos e vergalhões.

Como vimos, uma gestão de custos eficiente permite que as empresas madeireiras tenham maior controle sobre as despesas envolvidas no processo produtivo e aumentem a eficiência e produtividade.

Quer saber mais sobre as vantagens da empilhadeira off-road? Acesse aqui.

COMPARTILHE