fbpx

Concreto protendido reduz custos na construção civil

Novas tecnologias possibilitam melhorar o desempenho das estruturas, aumentar a eficiência nos processos e reduzir custos na construção civil.

O uso do concreto protendido ajuda a evitar problemas nas estruturas, como a fissuração e a deformação acima do limite estabelecido, além de reduzir o uso de aço e concreto.

Neste artigo, vamos mostrar como essa técnica permite reduzir custos e trazer maior eficiência na construção de estruturas na construção civil.

Entenda como funciona o concreto protendido

O concreto protendido é uma técnica de execução criada no século XIX, já bastante conhecida no Brasil. Ela foi desenvolvida para que a armadura  sofra um pré-alongamento, gerando um sistema autoequilibrado de esforços, com tração no aço e compressão no concreto.

A técnica é utilizada para armação de blocos e sapatas, construção de silos, lajes, pilares, vigas, reforços de estruturas, dentre outras aplicações. Ele possibilita a execução de obras grandes e complexas, como pontes, shopping centers, pisos industriais e edifícios que necessitem de grandes vãos entre pilares. Obras ousadas, como a ponte Rio-Niterói e o Museu de Arte de São Paulo (MASP), foram realizadas graças a esse método.

Embora apresente semelhanças, o concreto protendido se distingue da estrutura de concreto armado, que se caracteriza por ter uma estrutura de aço por dentro. Isso porque o concreto protendido, além de apresentar aço no interior, também possui cabos de aços tracionados e ancorados no próprio concreto, aumentando assim a resistência.

Essa tecnologia visa a melhorar o desempenho das estruturas e utilizar todo o potencial do concreto para fazer compressão. Desse modo, é possível minimizar ou mesmo eliminar  as fissuras geradas pela tração. Isso aumenta muito a vida útil das estruturas, pois protege as armaduras da penetração de água ou umidade e a sua consequente corrosão.

Veja como o concreto protendido é utilizado na construção civil

Na construção civil, a propensão é utilizada para aumentar a resistência do concreto. Ela consiste basicamente em dar tensão aos cabos de aço antes da cura do concreto para melhorar a resistência do material, minimizando os impactos das ações externas.

A estrutura de concreto é feita por cabos de aço aplicados ao concreto já endurecido e com uma resistência mínima, para evitar danos ao ponto de apoio. Desse modo, são minimizados os danos causados durante a aplicação da carga, caso o concreto ainda não tenha a resistência necessária. Esses cabos atravessam toda a estrutura (viga ou laje), tanto pela parte superior quanto pela inferior, de acordo com a solicitação do momento fletor (positivo ou negativo).

Conheça as vantagens do uso de concreto protendido

A grande vantagem das estruturas protendidas é a possibilidade de redução das seções dos elementos estruturais. Isso permite que sejam vencidos vãos maiores que o concreto armado tradicional, além de fazer menor uso de aço e concreto.

Além disso, a utilização do concreto protendido traz muitas outras vantagens:

* Melhorar a resistência do material e minimizar os impactos das ações externas

* Reduz a incidência de fissuras, garantindo maior proteção das armaduras contra a corrosão do aço

* Diminui as quantidades de concreto e de aço utilizadas, devido ao emprego eficiente de materiais de maior resistência

* Execução de grandes vãos livres

* Projetos arquitetônicos ousados

* Estrutura de edificação mais leve

* Mobilidade para executar mudanças na posição da alvenaria

* Aumento da durabilidade

* Construção mais rápida

* Maior momento de inércia (maior rigidez)

* Menos deformações

* Maior facilidade de manutenção

* Aumento da capacidade de cisalhamento

* Uso adequado em vasos de pressão e estruturas de retenção de líquidos

* Maior resiliência sob carregamento dinâmico e fadiga

* Melhor controle de qualidade

* Adequado para a construção repetitiva

Veja como a empilhadeira facilita o trabalho na construção civil

O uso de máquinas e ferramentas adequadas aumenta a eficiência e a qualidade do serviço e reduz custos na construção civil. Além disso, esses equipamentos trazem mais qualidade para o produto e segurança para os trabalhadores.

As empilhadeiras são os equipamentos perfeitos para empilhar cargas, mas também servem para fazer a distribuição e transporte de materiais com mais rapidez no canteiro de obras. Elas podem ser utilizadas na movimentação de armaduras, tijolos, cimento, peças, suprimentos, entre outros materiais.

Essas máquinas agilizam os procedimentos de carga e descarga de materiais e o transporte deles para estoques e locais de utilização. Desse modo, elas evitam desperdícios, acidentes e danos que costumam ocorrer no transporte manual.

Como vimos, o concreto protendido possibilita a execução de obras complexas com eficiência e economia, pois reduz danos, acelera os processos e diminui o uso de matéria-prima.

Você gostou desse artigo? Quer saber mais sobre quais são as máquinas usadas na construção civil? Veja aqui.

Produção de maçã: como garantir mais produtividade no segmento?

A produção de maçã é uma atividade extremamente vantajosa e lucrativa, mas que exige certos cuidados para que seja desempenhada com qualidade.

De acordo com informações do Sebrae, a produtividade média da fruta no Brasil é de 15 a 30 t/ha de frutos, considerando pomares adultos e conduzidos por meio das técnicas mais adequadas e modernas da área.

Nesse contexto, é evidente que os ganhos obtidos em um pomar de maçã podem variar de acordo com a cultivar escolhida, seu espaçamento e técnicas de manejo.

Ou seja, conhecer as principais características, recomendações e cuidados relacionados à produção de maçã é fundamental para que ela seja desenvolvida com máxima produtividade!

Quer saber mais? Acompanhe a seguir.

Quais as práticas mais indicadas para otimizar a produção de maçã?

Para aumentar a produtividade e até evitar prejuízos durante a produção de maçã, alguns conhecimentos, cuidados e práticas são fundamentais.

Confira quais são os pontos mais importantes a serem observados logo no início de suas operações, o que você precisa priorizar na fase de plantio e colheita, além dos cuidados indispensáveis para um pomar mais produtivo:

Como começar?

Na hora de planejar a sua produção de maçã, o indicado é priorizar a polinização cruzada. Para isso, intercale as macieiras polinizadoras com as produtoras no pomar.

O período ideal para dar início ao cultivo é entre os meses de julho e setembro. Além disso, a instalação de colmeias de abelhas próximas é uma alternativa recomendada para facilitar a polinização.

No período vegetativo, a temperatura certa para a produção de maçã deve variar de 18ºC a 23ºC. No verão, a marca de 25ºC não pode ser ultrapassada.

Durante o inverno, as macieiras precisam acumular um certo volume de horas abaixo de 7,2ºC, para que o frio ajude a superar a dormência típica da planta.

A chuva é fundamental para que a cultura se desenvolva bem. Porém, ela também pode favorecer a incidência de fortes ventos, que precisam ser evitados por meio de plantas quebra-ventos.

O que observar no plantio e na colheita?

As práticas mais recentes de manejo permitem que a produção de maçã renda frutos para colheita depois do terceiro ano do plantio.

Nelas, o espaçamento consiste em 4 metros entre as filas e 0,8m a 1,2m entre as plantas. Em pequenas propriedades, é recomendado que o plantio seja feito em covas, que não precisam ser muito profundas.

Nas regiões mais quentes do Brasil, o período de safra é logo no final de dezembro. Já nos locais mais frios, o período pode se estender até o começo de maio, garantindo mais produtividade aos produtores.

Para a colheita, é preciso que os frutos sejam recolhidos manualmente, por meio de uma pequena torção no pedúnculo. É importante garantir no manejo que o mesmo mantenha-se aderido ao fruto, para que ele mantenha-se mais tempo conservado.

Quais cuidados priorizar?

Se você quer garantir uma produção de maçã realmente sólida, produtiva e competitiva, é imprescindível realizar análises constantes do solo.

Ao compreender as características do seu pomar e aderir às orientações dos órgãos de assistência da sua região, é possível determinar a quantidade ideal de nutrientes aplicados, bem como as melhores ações de manejo para suas demandas.

O raleio também é um cuidado de suma importância, que precisa ser feito em até 30 dias depois da plena floração. O objetivo é evitar que o excesso de maçãs prejudique o vigor inicial e a estruturação do pomar.

Todos os frutos formados devem ser retirados ao longo dos dois primeiros anos, para garantir que as plantas se desenvolvam corretamente!

Por que o maquinário está diretamente ligado ao sucesso da produção de maçã?

Quando tratamos sobre uma produção de maçã realmente eficiente, é preciso ir além dos cuidados mencionados acima.

Isso significa que, mais que ter atenção aos aspectos próprios da lavoura, o aumento da produtividade também exige que os processos logísticos sejam mais rápidos e precisos.

Para isso, é fundamental priorizar as melhores máquinas para colheita de maçã, que são capazes de operar com excelência em qualquer terreno, desde o solo desafiador dos pomares até os espaços restritos dos depósitos.

Assim, a produção de maçã ganha mais celeridade em seus processos, reduz seus custos operacionais com mais eficiência logística e ainda valoriza o produto final, que será devidamente manejado em sua cadeia de movimentação e armazenamento.

Quer ampliar os seus lucros com as máquinas que são referências na produção de maçã? Então clique nos links e conheça os modelos Todo Terreno Maxxicargo e MX da Movix, que oferecem o melhor desempenho e custo-benefício do segmento!

Como fazer a gestão de produtos químicos na indústria de fertilizantes

Os fertilizantes são compostos fundamentais para o aumento da produtividade agrícola. Afinal, eles desempenham uma função essencial para o desenvolvimento das plantas, fornecendo os nutrientes que elas necessitam para germinar e se desenvolver.

Porém, as exigências do mercado têm elevado o nível de complexidade operacional no setor, demandando uma gestão logística mais eficiente. Para se tornarem mais competitivos, os fabricantes precisam enfrentar alguns desafios, como fazer o transporte e armazenagem corretamente, ter maior escala de produção e eliminar os resíduos corretamente.

Mas você sabe como fazer uma gestão de produtos químicos? Confira como aumentar a eficiência e segurança em seus processos.

Entenda a situação da indústria de fertilizantes brasileira

A indústria de fertilizantes no Brasil está em constante crescimento, mas ainda compete com os produtos importados. Segundo a Associação Nacional para Difusão de Adubos (ANDA), em 2019 foram comercializados 36.238.381 milhões de toneladas do produto.

Porém, embora o País seja o 4º maior consumidor de fertilizantes do mundo, mais da metade do produto ainda é importada, e o consumo ainda se encontra em estágio inferior que o ideal.

A legislação brasileira define os fertilizantes como substâncias minerais ou orgânicas, naturais ou sintéticas, fornecedoras de um ou mais nutrientes para as plantas. A sua matéria-prima advém dos produtos procedentes da petroquímica e da mineração, como o nitrogênio (N), o fósforo (P) e o potássio (K).

Os macronutrientes fazem parte das moléculas essenciais para a vida das plantas, possuem função estrutural e são necessários em grandes quantidades no metabolismo delas. Já os micronutrientes, presentes nos fertilizantes em menores quantidades, têm função reguladora e fazem parte das enzimas.

Saiba quais são os cuidados necessários na produção de produtos químicos

As substâncias químicas trazendo enormes benefícios para a produção agrícola. Dados da FAO mostram que os fertilizantes trazem uma contribuição muito significativa para a produtividade agrícola, com ganhos de no mínimo 50%.

Porém, a aplicação de produtos químicos sem critérios de racionalidade e eficiência pode originar problemas ambientais e trazer prejuízos econômicos e energéticos. Por isso, a gestão da indústria de fertilizantes deve atentar para os cuidados com segurança em todo o ciclo de vida do produto químico, desde a sua produção até a destinação final.

A gestão da indústria deve conhecer e ser capaz identificar os produtos com os quais trabalha, de modo a evitar riscos à produção, acidentes no trabalho e desastres ambientais.

O Decreto 2657/98 determina os parâmetros para a produção de produtos químicos, de modo a avaliar o perigo que apresentam para a saúde dos trabalhadores e garantir a sua segurança.

Veja os cuidados necessários no transporte e armazenamento

Para minimizar a perda na qualidade e evitar acidentes no transporte e armazenamento, deve-se prestar atenção às propriedades físicas e químicas e físicas dos fertilizantes. A seguir, daremos algumas dicas para que as operações sejam realizadas com eficiência e segurança.

* O manuseio e o transporte correto desses produtos devem ser baseados nas condições climáticas, no tipo de fertilizante e na forma como o produto é expedido (granel ou embalado).

* O armazenamento do fertilizante também exige alguns cuidados para que ele não sofra perda de qualidade. Por isso, o ambiente deve ser limpo, livre de poeira e sujeira e protegido da umidade, que pode causar a formação de pó e empedramento.

* A manutenção e limpeza dos recipientes que armazenam os produtos químicos devem estar de acordo com as normas de segurança. Por se tratar de um produto tóxico, o fertilizante precisa seguir as mesmas regras dos produtos perigosos, expostas no Decreto 5.954/2004.

* Para evitar riscos de explosões, nenhuma instalação elétrica pode entrar em contato direto com o fertilizante. Além disso, placas de “não fumar” devem ser afixadas e respeitadas.

* O piso do depósito, as esteiras transportadoras e equipamentos devem estar limpos, secos e livres de resíduos e contaminações. Também é preciso atenção para se evitar a contaminação cruzada entre produtos diferentes.

* Além disso, a legislação trabalhista exige que os trabalhadores que operam empilhadeiras recebam treinamentos relacionados à segurança na operação de equipamentos de transporte, conforme definidos na NR-11.

* Para garantir a eficiência dos processos, é importante contratar pessoas capacitadas a prestar esse tipo de serviço com segurança. Afinal, os operadores precisam saber movimentar produtos químicos e cargas perecíveis, materiais que podem causar acidentes graves.

Conheça as empilhadeiras Off Road da Movix

Ideais para atividades externas, com terrenos irregulares, poeira constante e incidência de chuvas, as empilhadeiras off road encaram todo tipo de terreno com agilidade e eficiência. Projetadas para suportar trabalhos pesados, essas máquinas carregam até 4,5 toneladas de peso.

Essas máquinas também se destacam por sua capacidade para atingir níveis mais altos de elevação vertical, com excelente capacidade de carga e maior velocidade e estabilidade. Movidas a diesel e com torres de duplo ou triplo estágio, elas apresentam elevações que variam de 3,30 a 6,00 metros.

Além disso, as empilhadeiras todo terreno podem ser utilizadas outros acessórios além dos garfos. Esses acessórios ampliam a versatilidade de suas aplicações para diversas atividades da área industrial e da construção civil.

Portanto, essas máquinas são capazes de realizar o transporte de cargas disformes, como sacos de fertilizantes, big bags, feixes de madeira, blocos de cimento, tubos e vergalhões. Elas tornam o acesso aos estoques mais fácil e rápido, favorecendo uma melhor utilização dos espaços verticais e uma maior economia de espaço.

Como vimos, a gestão de produtos químicos na indústria de fertilizantes precisa estar atenta a uma série de medidas para garantir a qualidade e segurança dos produtos e evitar acidentes.

Você gostou desse artigo? Quer saber mais sobre qual é o tipo de empilhadeira mais indicado para as suas necessidades? Confira neste artigo.

empilhadeira off road x industrial

Colheita do café: como contornar suas principais dificuldades?

Assim como na grande maioria das atividades agrícolas, a colheita do café exige cuidados especiais, que servem para evitar problemas comuns desse tipo de cultura.

No segmento cafeeiro, existem dificuldades muito características relacionadas ao processo de colheita, capazes de comprometer a qualidade final do produto e sua lucratividade.

Felizmente, existem alguns cuidados básicos que podem evitar ou mesmo reverter as consequências negativas desses problemas.

Para que você conheça as principais adversidades da área e saiba como superá-las, a seguir, confira aquelas mais recorrentes na colheita do café, suas principais resoluções e a importância das melhores tecnologias para essa atividade!

Quais as principais dificuldades na colheita do café?

Além dos possíveis problemas comuns a qualquer tipo de produção, como a incidência de doenças, pestes e fungos, a colheita do café também conta com adversidades próprias do seu modelo de produção.

Normalmente, os desafios da área cafeeira são ligados a variações climáticas inesperadas e ao excesso de chuvas, que geram condições como:

  •       Umidade excessivamente alta do solo, que dificulta o mesmo impede operações manuais e até o uso de certos equipamentos;
  •       Umidade do ar muito elevada, que gera a colheita de grãos úmidos, muitas vezes prejudicando o processo de secagem;
  •       Falta de seguimento no planejamento da colheita, já que mudanças no clima impedem que o cronograma seja seguido corretamente, especialmente se forem muito rápidas e inesperadas.

 

Como evitar essas adversidades?

De acordo com o portal de notícias Safra ES, em artigo especial sobre o tema, a melhor maneira de driblar os problemas gerados pela chuva e pelas mudanças climáticas é otimizar a lavoura através de seu monitoramento.

Para isso, é preciso levantar o maior número de dados possíveis, desde dados climáticos e análises de solo, até características de folha, incidência de doenças e pragas, tempo até a colheita, produtividade, e assim por diante.

Quanto maior for o número de informações, melhor! Afinal, com o passar do tempo, isso garante um histórico completo e minucioso do cafezal, que dará apoio para as decisões de manejo.

Dessa maneira, é possível aumentar a eficiência dos tratos na cultura e aprimorar o uso de seus recursos, definindo os padrões mais adequados para a aplicação de defensivos, adubação, podas, renovação, entre outros processos relacionados.

Em relação às pragas e daninhas, por mais que sua época de propagação e condições ambientais sejam amplamente conhecidas, também é importante ter um bom processo de planejamento e ação.

Isso porque, ao monitorar preventivamente a lavoura, é possível tomar as melhores decisões de manejo durante as infestações críticas.

Nesse sentido, para reduzir a incidência de daninhas, também é recomendado o uso de plantas de cobertura na entrelinha, que também diminuem a temperatura do solo e controlam processos erosivos.

Por que máquinas e tecnologias adequadas são indispensáveis na colheita do café?

Muito além de adotar todos os cuidados mencionados acima, a colheita do café também exige que os produtores utilizem as melhores tecnologias e soluções de movimentação para a área.

Se a grande dificuldade do segmento cafeeiro é lidar com a incidência de chuvas e terrenos muito úmidos, é importante que os equipamentos utilizados sejam capazes de operar com excelência mesmo em solos irregulares e de difícil deslocamento.

As empilhadeiras Todo Terreno combinam alta tecnologia com excelente desempenho e dirigibilidade, para suportar o trabalho mesmo nos terrenos mais difíceis e garantir qualidade nas mais variadas aplicações durante a colheita do café.

Mais que um recurso de alta qualidade para o campo, esse tipo de empilhadeira representa um verdadeiro diferencial competitivo, tornando as operações mais eficientes, céleres, fluídas e economicamente viáveis!

Quer conhecer o maquinário que é referência de mercado para a colheita do café? Então confira todos os detalhes e vantagens das empilhadeiras Off Road Maxxicargo e MX da Movix! Basta clicar no link do modelo de seu interesse para saber mais.